• 09/04/2020
  • por Resenha Politika

Feminicídio

Renovação de medidas protetivas pode ser realizada pela internet ou telefone

Renovação de medidas protetivas pode ser realizada pela internet ou telefone

As mulheres podem pedir, a partir desta quinta-feira (9), a renovação das medidas protetivas em casos de violência doméstica e familiar por formulário on-line ou ligando por telefone disponibilizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh). A ação, em parceria com a Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), é para facilitar o acesso e proteger as mulheres (Lei n.°11.340/2006) durante o período de isolamento social durante a pandemia de coronavírus (Covid-19). O formulário pode ser acessado no link: bit.ly/medidasprotetivaspb.

Segundo dados do TJPB, mais de 5.892 medidas protetivas estão tramitando no Estado e, somente entre 3 de março a 4 de abril, 482 novas medidas foram solicitadas, desde o início da sistemática de trabalho remoto decretada pelo TJPB para contenção do contágio por Covid-19 (Ato Conjunto nº 03/2020/TJPB/MPPB/DPE-PB/OAB-PB).

“A Lei Maria da Penha não estabelece prazo de duração das medidas protetivas, porém existem entendimentos de que as mesmas devem vigorar por 180 dias, prorrogáveis por igual período, se demonstrada a necessidade. Por essa razão, nos preocupamos com essas situações. Havendo a necessidade de prorrogação, diante dessa pandemia, como fazer chegar à Justiça esses pedidos para serem analisados. Esse modelo é mais um caminho para facilitar o acesso. O trabalho do Poder Judiciário na análise das medidas protetivas está acontecendo normalmente, pois esses procedimentos tramitam pelo PJe”, afirmou a coordenadora da Mulher do TJPB, juíza Graziela Queiroga.

Segundo a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura, a renovação das medidas sem deslocamento para o Fórum de Justiça ou para as delegacias vai ajudar na proteção destas mulheres que já têm medidas protetivas. “Estamos ampliando o serviço de proteção para  as mulheres, já que a renovação das medidas protetivas é essencial para garantir que os agressores não se aproximem ou entrem em contato, evitando casos mais graves como violência física e feminicídios”, afirma Lídia Moura, que complementa que as medidas protetivas podem ser solicitadas também pelo Ministério Público, Defensoria Pública, advogados e nas delegacias.

Como fazer - A partir de agora, as mulheres que têm medidas protetivas vencidas ou a vencer já podem baixar e preencher o formulário pela internet e enviar para o e-mail medidasprotetivas@semdh.pb.gov.br . A partir disso, uma técnica da Semdh vai inserir o pedido no Processo Judicial Eletrônico (PJe), que será avaliado pelo juiz ou juíza competente para o deferimento.

As mulheres que não têm acesso à internet poderão ligar pelos telefones e/ou WhatsApp para todo o Estado (99146-7175), Campina Grande (98826-8834) e na região do Cariri, em Sumé (99400-7022) para solicitar a renovação. Uma técnica vai preencher o formulário e inserir o pedido no PJe para avaliação e deferimento da Justiça.

Renovação de medidas protetivas online:
- Acesse o formulário aqui: bit.ly/medidasprotetivaspb
- Baixe o formulário, preencha e envie para o email:
- Caso não tenha acesso à internet, ligue para os telefones  e/ou whatsApp : Estadual (99146-7175 ), Campina Grande (98826-8834)  e na região do Cariri, em Sumé (99400-7022 ) para solicitar a renovação.

Como ajudar

Programa Integrado Patrulha Maria da Penha – O horário de funcionamento do Programa Integrado Patrulha Maria da Penha é das 8h às 12h, com equipe de profissionais presencial e remoto. As rotas de monitoramento da equipe da Polícia Militar continuam funcionando normalmente. O programa atende mulheres com medidas protetivas ou que ainda estão solicitando à Justiça. A sede fica localizada na Rua Rodrigues de Aquino, nº 378, Centro de João Pessoa. O telefone para contato é 3221-1673. Por sua vez, a Casa Abrigo Aryane Thais, cujo serviço é sigiloso, também continua recebendo as vítimas e seus filhos em risco.

Ligue 190 - Se você ouvir ou perceber violência doméstica, denuncie pelo 190 (urgência) e 197 (denúncia). Com cuidado, tente chamar pela mulher. A intervenção externa pode cessar a violência. Tente entrar em contato com a vítima, pergunte se ela precisa de ajuda. Se você testemunhar ou perceber violência contra a mulher, denuncie. Você pode salvar uma vida.
 

Comentários